24/03/2017

Intercâmbio em Londres - um sonho possível

Londres - Tower of London
Cada "poppy", como são chamadas em inglês as papoulas vermelhas, representa a fatalidade de um soldado britânico.

Fazer uma viagem de intercâmbio é o sonho de muitos jovens. Londres é um dos locais muito procurados para realizá-lo. Mas é preciso ter atitude e coragem para encarar o desafio que não é só financeiro. 

Os filhos crescem e não podemos viver suas vidas. Entendo que devemos dar amor e dar condições (dentro de nossas posses, é claro!) para que cresçam e escolham seus caminhos.

Quando minha filha nasceu, eu tinha 32 anos. Ela foi desejada e sua chegada foi planejada por mais de 6 anos. Sonhamos para ela um futuro de sucesso.
A gente sonha sonhos bons para nossos filhos. Nem sempre são sonhos grandes, mas normalmente, bons. Não os criamos para nós mesmos, mas para que tenham autonomia de vida. Desejamos também que façam boas escolhas sempre. Mas, o certo é não criar muitas expectativas, pois a vida é deles. Eles traçarão seus próprios caminhos. O que podemos fazer, é pedir a Deus que os guarde e dê sabedoria em suas escolhas.

Desde pequena, tentei, junto com meu marido, dar uma educação de autonomia. Ela brinca até hoje comigo, dizendo que eu nunca dava as respostas às perguntas que me fazia quando realizava as tarefas da escola. Minha ideia era de que ela deveria aprender por si mesma, buscar a resposta no conteúdo disponibilizado ou raciocinar a respeito do assunto. Como mediadora de aprendizagem, sempre respondia com outra pergunta (risos) e ela na maioria das vezes conseguia resolver. Queria que ela pensasse e não dar a resposta pronta. Minha área é Humanas e a do pai, Exatas, então quando se tratava de Matemática e Física, era com ele. Nunca exigimos que tirasse 10 em tudo e ela tirava nota máxima em poucas matérias. Como professora de Informática, cheguei a lidar com crianças cujos pais faziam suas tarefas. Nem sequer a letra disfarçavam. Isso cria dependência e pode gerar adultos inseguros. Devemos deixar nossos filhos crescerem em todos os âmbitos. 

Ela foi sorteada com uma bolsa de estudos de Inglês para um semestre quando tinha 9 anos. Gostou muito e seu aproveitamento foi excelente. Resolvemos nos esforçar para que continuasse estudando, o que aconteceu por mais 7 anos. Fez um exame que lhe deu a proficiência, podendo lecionar. 

Uma coisa que sempre deixei claro para ela, é de que nada caía do céu e que tudo se consegue com trabalho e esforço. Dizia para ela que dinheiro não dava em árvore. Nunca incentivei o uso de roupas e calçados "de marca" porque queria que se adequasse ao que podíamos lhe proporcionar. Nunca vi isso como prioridade e hoje colho frutos disso em suas atitudes. Uma roupa ou calçado tem que ter qualidade e durabilidade razoável para serem usados, não para ostentar.

Quando tinha 7 anos, começamos a pagar mensalmente um pacote de Previdência Privada que seria resgatado quando ela completasse 17 anos. Fiz isso sob o conselho de uma amiga querida que trabalhava num banco. Conselho bom, porque me forçava mensalmente a guardar um valor pequeno que foi aumentando mês a mês. A intenção era usar esse dinheiro para realizar algum sonho dela.

Quando tinha 14 anos, fez uma viagem para o Sul do Brasil. Até já escrevi sobre a comemoração da formatura do 9º ano do Ensino Fundamental. Foi sua primeira viagem sem nossa presença. O diretor da escola foi junto com a turma. Ela passou mal e tive que monitorar sua saúde à distância. Coisas de mãe. Nessa época, ela já sonhava em sair do Brasil. Pensou em fazer o High School (Ensino Médio) nos Estados Unidos. Acabou não realizando esse sonho, porque o pai a achava imatura para permitir que ficasse tanto tempo fora. Não aconteceu.

Passou a sonhar então com a ideia de morar um tempo em Londres. A incentivei, mas o pai só observava e achou que deveria fazer uma pequena viagem no Brasil, para ver como seria. Então, sua primeira viagem de avião, sozinha, foi aos 16 anos para a casa de um tio em Belém/PA.
O sonho de morar em Londres foi sendo delineado aos poucos. Tirou o passaporte, fomos juntas a várias agências de intercâmbio de nossa cidade para pesquisar os preços. Ao mesmo tempo, muitas pesquisas foram feitas por ela, seguindo vários blogs e assistindo vários vídeos sobre Londres e intercâmbios. Mas, durante todo esse tempo, não dissemos nada a ela sobre a reserva que tínhamos. Ela não tinha nenhuma certeza de que seria possível até o momento em que fechei o contrato com a empresa. A única coisa que tivemos que comprar à parte, foram as passagens de ida e volta, porque o restante, a reserva cobriu.

Londres

Então finalmente, com 18 anos completos (ela preferiu assim), foi para a Inglaterra. Passou doze semanas em Londres, um sonho que foi sendo nutrido e desejado ansiosamente por ela. Foi um desafio que ela conseguiu enfrentar pela força de caráter e autonomia. 

Contei no Blog sobre o sonho de ir a Londres. Farei um post somente sobre o intercâmbio, tudo contado por ela mesma.

video

Contei a história toda, porque às vezes não achamos que é possível realizar um sonho como esse. Mas é possível sim, com planejamento, pesquisa e tranquilidade. Sem desespero e de preferência, sem se endividar. Basta ter paciência e não desistir diante das dificuldades.

Sou grata por termos conseguido realizar esse sonho, no tempo certo.



Este post participa da Blogagem Coletiva Semanal #52semanasdegratidão de Elaine Gaspareto, cujo objetivo é valorizar e compartilhar nossas pequenas e grandes alegrias... nossas vivências e aprendizados.



20/03/2017

Descanso e passeios em Londrina


Descanso é algo que procuramos ao longo da vida. Algumas vezes a rotina nos sufoca e necessitamos renovar nossas energias. Quem é dona de casa, sabe que se não sai de casa, o serviço não acaba nunca. A pia, parece que dá cria de três em três horas. Quando se quer comer comida de verdade no almoço e jantar e não só ficar tomando lanches, alguém tem que colocar a barriga no fogão. Não tem jeito! 

No período de Carnaval, resolvemos ficar alguns dias em Londrina, cidade onde nossa filha Letícia reside para estudar. Nos hospedamos em sua casa mesmo, porque é um apartamento com boas dimensões e muito bem localizado. Foram onze dias fora de casa e confesso que nos últimos dias, já estávamos com saudades da nossa própria casa, da cidade e da praia. Eu também estava sentindo falta da academia, apesar de termos caminhado bastante em volta do Lago Igapó que fica próximo à moradia.

Londrina

O descanso da rotina foi parcial, porque tive que preparar a comida na maior parte das vezes. Mas, pelo menos não tinha toda a responsabilidade da casa sobre mim. Descanso minha cabeça quando saímos assim, mas descanso de verdade, só quando nos hospedamos em um hotel.

No quesito passeios, além das caminhadas ao redor do lago (é um local muito bonito - veja foto acima), fomos a alguns shoppings. O Boulevard Londrina Shopping possui um Centro Cultural onde apreciamos uma exposição de quadros muito interessante - grafite sobre tela.

Boulevard Londrina Shopping
Decoração no banheiro do Shopping - Cabine telefônica - Exposição de grafite sobre tela

Fomos também a lojas de utilidades para o lar. Para mim, isso é passeio, porque amo esse tipo de loja, olho cada objeto exposto. Ainda bem que meu marido também gosta. Atualmente até tiramos fotos de alguns objetos porque servem de ideia de decoração ou otimização da nossa casa. 

Fomos à Le Roy Merlin que tem uma grande quantidade de objetos, ferramentas, móveis e utensílios domésticos. Essa loja, já conheço há um ano, desde que minha filha foi morar nessa cidade. Apesar de ter a loja também em São Paulo, por várias vezes estivemos perto há anos atrás, mas nunca paramos para explorar. Compramos uma estante tipo escada e um armário para a filhota organizar seus papéis que se acumularam ao longo do ano. Compramos também  almofadas, para ela e para nós, além de outros itens como arruelas e parafusos para acertos no apartamento.

Le Roy Merlin - Londrina

Le Roy Merlin - Londrina

Estivemos também na Tok&Stok, loja lindinha, toda arrumadinha, e eu amei! Faz tempo que quero conhecer essa loja, mas não tinha tido a oportunidade ainda. Acho até que havia uma aqui em Santos anos atrás, mas nunca estive lá. Comprei jogos americanos para minha casa.


Tok&Stok - Londrina
Suporte para livros modelo c/mãos (o porta-controle foi para mostrar)                  Porta-retrato O Pequeno Príncipe

Saímos também para jantar, numa lanchonete chamada Rolls. O local, serve rolinhos de vários sabores, tipo rolinho primavera que normalmente encontramos em restaurante chinês.


Rolls Londrina


Foram dias muito especiais, principalmente por fazermos companhia à nossa filha. Numa outra postagem, que deveria ter sido feita antes, contarei sobre o apartamento em que ela mora.
Até mais!


18/03/2017

Receita de Cogumelo Shimeji


Quando minha filha estava para completar 17 anos ainda cursava o último ano do Ensino Médio. Perguntei a ela o que queria que fizesse para comemorarmos seu aniversário e ela me disse: – quero um jantar oriental. Fiquei um pouco assustada com o pedido pois nem conhecia direito esse tipo de comida, mas aceitei o desafio. Confesso que a comida oriental nunca me atraiu muito, exceto o frango xadrez. Mas fui pesquisar o que poderia fazer e vi que o cardápio não precisava ser muito complicado. Foi a primeira vez que comi Shimeji, era o ano de 2013. Eu não conhecia e nem sabia preparar, mas minha filha pediu com carinho e eu me esforcei porque era um prato muito caro para comer fora de casa.


O cardápio ficou assim: Frango Xadrez, arroz Chop Suey, Yakisoba, Shimeji e rolinhos primavera de forno porque não faço frituras em casa. Recebemos alguns amigos dela, da escola e alguns familiares. Foi uma noite muito agradável e o jantar estava realmente delicioso.


Essa semana, passando em um supermercado, vi algumas bandejas de cogumelos Paris e Shimeji muito bonitas e o preço não estava exorbitante. Aqui em Santos, tem lugares difíceis de adquirir esse tipo de alimento porque o preço é nas alturas. O cogumelo Paris, já preparei algumas vezes e acho delicioso, mas fiquei com vontade de comer Shimeji.
Esse tipo de alimento está conquistando cada vez mais o mundo ocidental. Inicialmente muito comercializado na China, atualmente é produzido e consumido no mundo inteiro.
É considerado no Japão, o mais delicioso dos cogumelos. Rico em vitamina B1, com baixo índice calórico e alto valor nutricional, ele contém pouca gordura, muitas fibras e minerais, e elevado valor proteico. Ele nasce em penca, pode ter chapéu escuro ou branco-amarelado e mede mais ou menos 2cm de diâmetro com um talo de 4 a 5 cm. Seu tamanho permite o cultivo em propriedades rurais pequenas. Veja mais informações sobre o Shimeji.
Preparei e realmente ficou delicioso!

Ingredientes:
1 bandeja de Shimeji branco (200g)
2 cs de manteiga ou outra gordura
1 cs de açúcar
3 cs de shoyu
2 cs de cebolinha picada

Modo de preparo:
Soltar o Shimeji (fiz com a faca) e lavar. Derreter a manteiga e refogar. Acrescentar o açúcar e o shoyu, misturando bem. Tampar a panela e deixar por 5 minutos em fogo mínimo. Apagar o fogo e salpicar a cebolinha. Está pronto!

E você, gosta de comida oriental? Eu ainda quero aprender a preparar outros pratos em breve.